Depósitos à Ordem, Depósitos a prazo e Contas Poupança. Quais as diferenças? – Parte II

Na semana passada expliquei o que é uma conta de Depósitos á Ordem no artigo “Depósitos à Ordem, Depósitos a prazo e Contas Poupança. Quais as diferenças? – Parte I”. Desta vez vou explicar o que é uma conta de Depósitos a Prazo.

Ter uma conta de Depósitos a Prazo, significa ter o dinheiro a render! Este tipo de contas mais não são do que contas em que o cliente deposita o seu dinheiro sem que lhe possa “mexer” durante um período de tempo contratado entre o banco e o cliente (que podem ser dias, meses, anos) e que, findo esse prazo o cliente recebe o dinheiro que depositou mais os juros que esse dinheiro rendeu.

As contas de Depósito a Prazo estão associadas a uma conta de Depósitos à Ordem, ou seja, para o cliente abrir uma conta a prazo terá que ter, inicialmente, uma conta à ordem. Os fundos que o cliente desejar transferir para a conta a prazo são provenientes da conta à ordem e no momento da liquidação da conta a prazo, o depósito inicial e os juros ganhos serão depositados para a conta à ordem, ou seja, é da conta à ordem que se transfere o dinheiro para a conta a prazo e é na conta à ordem que se recebe os ganhos da conta a prazo.

A vantagem deste tipo de produto bancário é que, para além dos ganhos proporcionados e da existência de diferentes prazos de investimento, não possui qualquer tipo de risco para o cliente. No fim do prazo o cliente receberá sempre o valor investido mais o valor ganho com os juros, ao contrário de alguns fundos de investimento e outros produtos em que existe sempre risco de não obter os resultados esperados ou mesmo do cliente ficar a perder dinheiro.

Resumindo, uma conta a prazo é uma conta associada à conta à ordem em que o cliente coloca uma quantia de dinheiro a render e só terá acesso a esse dinheiro mais os juros no final do prazo contratado. Este produto não tem riscos e pode ser encontrado em todas as instituições bancárias com diferentes taxas e prazos de investimento (normalmente quanto maior o prazo, melhor é a taxa).

Não esquecer que a taxa apresentada pelos bancos normalmente é a taxa bruta TANB, pelo que se deve calcular o valor do imposto a retirar a essa taxa de forma a obter o valor líquido que vai remunerar o depósito. Pode ver aqui um artigo a explicar a fórmula de cálculo.

No próximo artigo irei explicar o que são as contas poupança e diferencia-las das contas a prazo.


Natural de Aveiro. Possui licenciatura e mestrado em Gestão pela FEUC. Actualmente trabalha numa instituição bancária.

Partilha este artigo

Related Articles

Deixa um comentário

© 2014 Seguros e Banca. All rights reserved. Site Admin · Entries RSS · Comments RSS
Powered by WordPress · Designed by Theme Junkie